Header Ads

Caldeira confirma diárias no valor de R$ 4,5 mil; Mas lamenta que valor vai abaixar para R$ 3 mil

oobservador




Porto Velho, RO - Uma postagem no Whatsapp e Facebook viralizou nas redes sociais na manhã deste sábado com Diárias para o Distrito federal ou seja Brasília, num total de 5 com valor de R$ 900,00 desfazendo um total de R$ 4,5 mil reais.

A postagem ganhou repercussão devido estar o nome do jornalista Carlos Caldeira, considerado o maior opositor do prefeito da capital Hildon Chaves (PSDB).

Carlos Cadeira é técnico em orçamento e já prestou serviço para cooperativas, Assembléia Legislativa, Governo do estado de Rondônia e nas eleições de 2016 disputou a vereança obtendo pouco mais de 400 votos.

Em entrevista via telefone ao O OBSERVADOR, Carlos Caldeira confirmou que as Diárias são para ele, mas lamentou que o prefeito Luiz Ikeneguchi não vá mais na viajem, pois agora a portaria da Diária será republicada e ele vai ganhar apenas R$ 600 * por dia, num total de R$ 3 mil.

* Atualizada.

CHICO PERNAMBUCO
Com a morte do prefeito Chico Pernambuco (PSB), assumiu o vice-prefeito Luiz Ikenohuchi, que buscou o jornalista Carlos Caldeira para lhe auxiliar na prefeitura e segurar a oposição dos vereadores da cidade.

PRIMO PREFEITO

Após 50 dias de investigação, a Polícia Civil prendeu cinco pessoas suspeitas de terem matado o ex-prefeito de Candeias do Jamari, Chico Pernambuco (PSB) e o mandante do crime, primo do atual prefeito da cidade, foi declarado foragido. O ex-prefeito foi morto no dia 18 de março quando chegava em casa com a namorada e a enteada. A polícia acredita que o crime foi por motivação política.

De acordo com a delegada responsável pelo caso, Keity Mota, a Operação Brutu deflagrada na manhã da última segunda-feira (8) prendeu quatro, das cinco pessoas envolvidas no caso. O articulador, que foi quem contratou os assassinos, foi preso no dia 24 de março. O mandante do crime já foi identificado, mas está sendo procurado como foragido da Justiça, que expediu um mandado de prisão contra ele.

Em entrevista coletiva na manhã desta terça-feira (9) em Porto Velho, a delegada declarou qual seria o motivo do crime. “As investigações iniciaram no dia da morte do prefeito e após 50 dias tivemos várias diligências realizadas e chegamos à conclusão que a morte do prefeito teria motivação política pela busca do poder da prefeitura”, afirma Keity.

A delegada confirmou o envolvimento de Katsumi Ikenohuchi, que é primo do atual prefeito de Candeias do Jamari, no crime. “Ele estava descontente com o modo que o Francisco estava gerindo a prefeitura e ele queria uma secretaria conforme teria sido prometido, já que sua tia teria financiado parte da campanha", conta a delegada.

Também de acordo com Keity, foi Katsumi quem contratou o articulador, que fez o contato com os executores. "Katsumi teria contratado um dos suspeitos que contratou os demais elementos encarregados de executar o Chico Pernambuco por uma quantia em dinheiro. O executores não tinham ciência que o prefeito da cidade que seria morto, até então, o articulador tinha dito à eles que era apenas um garimpeiro”, informou Keity.

Após a morte de Chico Pernambuco os suspeitos do crime passaram a pressionar o articulador para receber o dinheiro, mas o homem que os contratou foi preso dias após o assassinato, no dia 24 de março, no início das investigações.

“Nós prendemos o contratante dos executores que estava refugiado em um sítio. Ele estava com a arma do crime, com R$ 4 mil, além de drogas. Naquele momento, ele foi preso em flagrante delito e precisávamos comprovar que a arma que estava com ele foi a utilizada no assassinato do ex-prefeito, que foi o que a Polícia Técnica conseguiu comprovar”, disse Keity.

Delegada Keity Mota, reponsável pelo caso, confirmou a participação de Katsumi Ikenohuchi, primo do atual prefeito de Candeias (Foto: Hosana Morais/G1)

Depois a prisão do articulador, a mulher dele foi a responsável por fazer a ponte de comunicação dos suspeitos com o Katsumi. “Eles passaram a ameaçar a esposa do articulador para poderem receber o valor combinado, que não havia sido pago pelo suspeito preso”, informou a delegada.

A delegada disse ainda que, Luiz Ikenohuchi, atual prefeito de Candeias que assumiu o cargo depois da morte de Pernambuco, não é suspeito pelo crime, já que não há provas contra ele. Entretanto, foram recolhidos documentos, celulares, aparelhos eletrônicos, que ainda serão analisados, conforme ressaltou a delegada.

Ao todo, cinco pessoas foram presas até o momento e encaminhadas à Penitenciária de Médio Porte (Pandinha) em Porto Velho. Dois dos suspeitos confessaram o crime e os demais negam, segundo a polícia. O sexto suspeito da morte, Katsumi Ikenohuchi, está foragido da Justiça.

A Delegacia de Candeias do Jamari contou com apoio da Delegacia de Homicídios, Delegacia de Furtos e Roubos, Delegacia de Narcóticos (Denarc) e Diretório Geral da Polícia Civil.

O crime

O ex-prefeito Chico Pernambuco foi morto a tiros no dia 18 de março, quando chegava em casa, em Candeias do Jamari. Conforme a polícia, ele estava dentro do próprio carro quando levou os tiros de pistola.

O parlamentar de 66 anos chegava em casa com a namorada e uma criança, quando dois homens se aproximaram de motocicleta e efetuaram vários disparos. Chico Pernambuco foi atingido por dois tiros no peito e um no rosto.



Caldeira confirma diárias no valor de R$ 4,5 mil; Mas lamenta que valor vai abaixar para R$ 3 mil Caldeira confirma diárias no valor de R$ 4,5 mil; Mas lamenta que valor vai abaixar para R$ 3 mil Reviewed by Voz de Rondônia on fevereiro 17, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário

Recent Posts

Recent