Header Ads

Uma em cada sete crianças com microcefalia por zika recebeu atendimento médico 'completo' em 2017




Uma em cada sete (14%) crianças com anomalias por zika no Brasil recebeu o atendimento 'completo' para a condição em 2017.


Os dados são do último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, criado para acompanhar a saúde de crianças brasileiras afetadas pelo vírus.


Segundo diretrizes da pasta, o ideal é que essas crianças tenham acesso à puericultura, à atenção especializada e à estimulação precoce.


Na puericultura, são feitos atendimentos importantes nos primeiros meses de vida. Nesse serviço, profissionais de saúde acompanham, por exemplo, a velocidade de crescimento do perímetro encefálico.


Na atenção especializada, crianças devem ter acesso a especialistas específicos para as dificuldades que enfrentam (respiratórias, oftalmológicas, neurológicas, por exemplo).


Já na estimulação precoce, elas frequentam serviços de reabilitação física, intelectual, auditiva, visual, entre outros.


Segundo o boletim do ministério, o Brasil teve 542 casos confirmados de crianças com microcefalia associadas ao zika em 2017. Desses:



14% receberam o cuidado completo;
18,5 % tiveram acesso à estimulação precoce;
33,9% tiveram acesso à atenção especializada;
37,6% receberam atendimento em puericultura;
45,6% receberam algum tipo de cuidado.






Natimortos, óbitos e abortos




Até o dia 30 de dezembro de 2017, o país tinha 490 casos suspeitos de natimortos (nascido morto na hora do parto) e abortos em investigação.


Desses, 45,3% permanecem em investigação, 16,3% foram descartados e 12,9% foram confirmados. Não foi possível confirmar a infecção em 1,8% e 6,3% foram classificados como prováveis.


Outros 85 casos (17,3%) foram excluídos por não atenderem os critérios para investigação.


Já em relação aos óbitos, 525 estavam investigação. Desses, 46,9% ainda permanecem em investigação. Outros 145 (27,6%) forma descartados e 74 (14,1%) foram confirmados.


4% das mortes foram classificadas como prováveis e também outras 4% como inconclusivas. Outros 18 óbitos foram excluídos por não atenderem aos critérios.



O Brasil monitora a saúde de crianças afetadas pelo vírus com boletins periódicos (Foto: AP Photo/Felipe Dana)





Cumulativo dos casos desde 2015




Entre 2015 e 2017, o Brasil notificou 15.298 casos suspeitos de crianças com anomalias associadas ao zika.


As investigações não foram totalmente concluídas; e, segundo o Ministério da Saúde, falta concluir 18,8% dos casos.


Dos casos em que a investigação foi concluída, 3.071 foram confirmados, 6.790 foram descartados, 339 foram classificados como prováveis e 230 foram classificados como inconclusivos.


Ainda, 13% foram excluídos por não apresentarem os critérios para investigação.
Uma em cada sete crianças com microcefalia por zika recebeu atendimento médico 'completo' em 2017 Uma em cada sete crianças com microcefalia por zika recebeu atendimento médico 'completo' em 2017 Reviewed by Voz de Rondônia on fevereiro 21, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário

Recent Posts

Recent