Header Ads

Cassol diz que Confúcio deveria pedir desculpas ao povo de Rondônia



Num discurso na noite desta quarta-feira (16), na tribuna do Senado, o senador Ivo Cassol (Progressistas-RO) voltou a criticar a gestão de Confúcio Moura como governador de Rondônia. O parlamentar citou o endividamento do estado, fez denúncias sobre irregularidades em dispensas de licitações para a compra de conteineres que serviriam de salas de aula e acrescentou que o ex-governador não deveria se candidatar ao Senado. “Em vez de o senhor andar lançando uma pré-candidatura ao Senado ou a chefe de quarteirão, ande no Estado, sim, ande nos quatro cantos e peça perdão ao povo do meu Estado. Assuma que foi incompetente e diga ao povo que foi desonesto. Faça isso, é o mínimo que pode fazer”, afirmou Casol.

Caerd

Cassol também criticou a péssima situação financeira da Caerd deixada pelo ex-governador que não realizou os investimentos necessários gerando graves prejuízos ao povo de Rondônia. “A Caerd, hoje, deve em torno de R$1,2 bilhão. Se tivesse investido esses R$600 milhões, a fundo achado, mais a concessão, não teríamos dívida nenhuma. Iríamos vender a Caerd ao troco de seis por meia dúzia. Hoje, não. Além de perder esse dinheiro, ainda por cima temos que pagar R$1,2 bilhão dessa conta. Vocês estão pensando que sou eu que vou pagar? Não! Somos nós. Essa é a gestão maldita, essa é a gestão incompetente, essa é a gestão desonesta do ex-governador Confúcio Moura e sua tropa de quadrilha, que roubaram os cofres públicos”, disse.

Beron

Cassol voltou a questionar a decisão do governo anterior que assumiu a dívida do Beron antes do julgamento pelo Supremo Tribunal Federal. “O Confúcio Moura assinou todos os termos aditivos, assinaram já a confissão da dívida. Eu espero que o Supremo não leve em conta esses aditivos, eu espero que o Supremo não leve em conta essa assunção da dívida que não é nossa elevando de R$2 bilhões o banco Beron para mais de R$7,8 bilhões”, denunciou.

Educação

Cassol enfatizou o descaso com a educação do estado e comemorou a decisão do atual governador Daniel Pereira de suspender licitações para que contêineres fossem transformados em salas de aula. “Contêiner é para transporte de carga. É de ferro. Imagine! Até nas UPPs do Rio de Janeiro não deu certo. Imagine no meu Estado, na Região Norte, um contêiner! É um caixão de 12 metros de comprimento, 4 metros de altura e 2,4 metros de largura. Imaginem botar alunos lá dentro! Denunciei aqui da tribuna desta Casa esse absurdo”, reafirmou.

Ao encerrar o discurso, o senador Cassol disse que com o atual endividamento do estado, herança de Confúcio Moura, o próximo governador ficará inviabilizado e sem ter a menor condição de fazer investimentos para melhorar a situação do povo. “Você sabe qual é o total da dívida do Estado de Rondônia dos governos passados? Não faço parte nenhuma disso, porque não deixei dívida para trás, só repassei aquilo que recebi. É de 19 bilhões. Vocês sabem o que Confúcio Moura fez com o Tesouro Nacional, o reparcelamento? Ele inviabilizou o Governo do Estado nos próximos 4 anos. Ele colocou uma parcela mensal, de 848 milhões, 20% da receita bruta. Quer dizer, o próximo governador do Estado de Rondônia não vai conseguir fazer nada, só vai ser um governador de gestão de folha de pagamento”, encerrou. ​



Cassol diz que Confúcio deveria pedir desculpas ao povo de Rondônia Cassol diz que Confúcio deveria pedir desculpas ao povo de Rondônia Reviewed by Edivaldo Fogaça on maio 17, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário

Recent Posts

Recent