Header Ads

Há dez anos, Brasil tinha dois pilotos no pódio pela última vez na Fórmula 1



Hoje o Brasil não tem nenhum representante na Fórmula 1, mas há exatos dez anos, o panorama era diferente: no dia 20 de julho de 2008, Nelsinho Piquet e Felipe Massa subiram juntos ao pódio no GP da Alemanha, com o segundo e terceiro lugares, respectivamente. Foi a última vez que dois pilotos brasileiros terminaram entre os três primeiros colocados numa corrida na principal categoria do automobilismo mundial.


Aquele campeonato de 2008 vinha sendo extremamente equilibrado. Depois de nove das 18 corridas, Lewis Hamilton, Felipe Massa e Kimi Raikkonen estavam rigorosamente empatados com 48. O inglês, no entanto, levava vantagem sobre os pilotos da Ferrari no desempate pelo número de vitórias: três contra duas de seus adversários. Além deles, Robert Kubica estava na briga direta, dois pontos atrás dos três.



Largada do GP da Alemanha de 2008, em Hockenheim (Foto: Getty Images)


Em Hockenheim, a briga direta pela pole position ficou entre Hamilton e Massa, com o piloto da McLaren levando a melhor por 0s193. Raikkonen e Kubica decepcionaram e ficaram apenas com o sexto e sétimo lugares no grid, respectivamente. Enquanto isso, Nelsinho Piquet tinha dificuldades com sua Renault e ficava apenas com a 17ª colocação, 12 atrás do companheiro de equipe Fernando Alonso.


A estratégia dos líderes previa dois pit stops, e Hamilton e Massa dispararam na frente desde as primeiras voltas, seguidos de longe por Heikki Kovalainen (McLaren), Kubica e Jarno Trulli (Toyota). Depois da primeira rodada de reabastecimentos, Hamilton e Massa mantiveram os primeiros lugares, sem, no entanto, que o brasileiro ameaçasse o primeiro lugar do inglês.



Lewis Hamilton acelera McLaren no GP da Alemanha de 2008 (Foto: Getty Images)



No entanto, a história da corrida mudou na volta 35 de 67 quando a suspensão traseira esquerda da Toyota de Timo Glock quebrou na entrada da reta dos boxes. Descontrolado, o carro se chocou com violência no muro interno e ricocheteou para a grama do outro lado da pista.


Glock não se machucou, mas a direção de prova decidiu mandar o safety car à pista. Isso acabou embaralhando as estratégias e beneficiou Nelsinho Piquet, que estava fazendo seu único pit stop na hora em que a bandeira amarela era agitada.



Carro de Timo Glock após acidente no GP da Alemanha de 2008 (Foto: Getty Images)


Involuntariamente, o timing do pit stop de Nelsinho foi perfeito, porque ele não precisaria mais fazer nenhum reabastecimento na prova, enquanto os demais competidores precisariam voltar aos boxes para pelo menos mais uma parada antes terminar a corrida. Isso permitiu ao brasileiro subir imediatamente para o terceiro lugar quando todos pararam depois que o safety car reagrupou os carros. Apenas Lewis Hamilton e Nick Heidfeld não encheram o tanque para ir até o fim da corrida, e teriam de fazer um terceiro pit stop.


Infelizmente, a Renault acabou utilizando esse exemplo do pit stop de Nelsinho na Alemanha para coagi-lo a bater propositalmente na corrida de Singapura para favorecer a estratégia de Fernando Alonso. Mas esse é outro papo e fica para um post mais à frente.




Nelsinho Piquet faz o pit stop no momento em que Timo Glock bateu (Foto: Getty Images)


Sabendo que tinham de fazer mais um reabastecimento, Hamilton e Heidfeld aceleraram forte para abrir vantagem já preparando o pit stop, enquanto Nelsinho mantinha o terceiro lugar à frente de Felipe Massa, que não vinha tendo bom rendimento depois da sua segunda parada.


Quando Hamilton e Heidfeld fizeram o terceiro pit stop, Nelsinho herdou a liderança. Sem cometer erros, o brasileiro foi o primeiro colocado por seis voltas, até o inglês recuperar a ponta após forçar a ultrapassagem no hairpin.



Massa e Nelsinho comemoram pódio na Alemanha, em 2008 (Foto: Getty Images)


Nas voltas finais, Massa tentou atacar Nelsinho sem sucesso, enquanto Hamilton aproveitava para abrir mais vantagem. O inglês cruzou a linha de chegada com 5s586 de vantagem sobre Piquet, enquanto Felipe terminou 3s8 atrás do compatriota.



Era a primeira vez que dois brasileiros chegavam ao pódio numa mesma corrida desde o GP da Bélgica de 1991, quando Ayrton Senna venceu e Nelson Piquet foi o terceiro colocado - aliás, foi o último pódio da carreira do pai de Nelsinho.



Renault comemora segundo lugar de Nelsinho na Alemanha, em 2008 (Foto: Getty Images)


Depois da corrida, Hamilton assumiu isoladamente a liderança do campeonato, quatro pontos à frente de Massa (58 a 54). Já Nelsinho foi bastante festejado nos boxes da Renault. Pena que este seria o ponto alto de uma trajetória que poderia ter sido muito mais longa na F1 não fossem as armadilhas e trapaças da categoria...
Há dez anos, Brasil tinha dois pilotos no pódio pela última vez na Fórmula 1 Há dez anos, Brasil tinha dois pilotos no pódio pela última vez na Fórmula 1 Reviewed by Voz de Rondônia on julho 20, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário

Recent Posts

Recent