Header Ads

10 mil mosquiteiros impregnados com inseticidas de longa duração



O município de Candeias do Jamari no estado de Rondônia vai receber 10 mil mosquiteiros impregnados com inseticidas de longa duração (MILD) como estratégia complementar ao combate à malária. A distribuição, realizada pelo Ministério da Saúde a partir deste mês de novembro, vai beneficiar 12,5 mil pessoas nessa cidade, considerada prioritária no enfrentamento da doença.

No total, o Ministério da Saúde vai distribuir 300 mil mosquiteiros MILD para atender 364,5 mil pessoas da Região Amazônica, localizadas em 34 municípios prioritários nos estados do Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia e Roraima e de nove Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs) que concentram cerca de 80% dos casos de malária do Brasil.

Foram investidos aproximadamente R$ 4 milhões de reais para aquisição de 240 mil MILD modelo cama cônico e de 60 mil MILD modelo rede para complementar e apoiar as ações locais nos municípios e DSEIs prioritários. A ação é complementar “porque a principal estratégia é o diagnóstico e tratamento precoce, buscando evitar os óbitos e a gravidade da doença, assim como reduzir a carga de plasmódio circulante no território, visto que o único reservatório do agente que causa a malária é o ser humano”, explica Cássio Peterka, coordenador substituto dos Programas Nacionais de Controle e Prevenção da Malária e das Doenças Transmitidas pelo Aedes (CGPNCMD).

O controle vetorial integrado e seletivo busca reduzir a densidade de mosquitos infectados pelo plasmódio, nas áreas em que a transmissão ainda está ativa. Além das tradicionais técnicas utilizadas, como a Borrifação Residual Intradomiciliar e a Termonebulização espacial, o Programa Nacional de Controle da Malária recomenda a utilização de mosquiteiro impregnado com inseticidas de longa duração em áreas prioritárias.

Em 2011 e 2012, foram distribuídos mais de 1 milhão de MILD na região Amazônica. Por ser uma estratégia efetiva para prevenção e controle da malária, o Ministério da Saúde adotou esta estratégia com o objetivo de realizar aquisições e distribuição anual deste insumo.

Acompanhe a reportagem na Web Rádio Saúde



AÇÕES ESTRATÉGICAS

O Ministério da Saúde tem adotado uma série de ações estratégicas para o enfrentamento da malária, para cumprir as 4 diretrizes preconizadas pelo PNCM: Diagnóstico e Tratamento oportunos e de boa qualidade, Controle integrado e seletivo de vetores, Mobilização Social e Educação em Saúde, Identificação precoce e contenção de surtos de malária.

Para intensificação de ações de combate e controle da doença, foram repassados R$ 11,9 milhões em 2016 para nove estados localizados na região Amazônica (Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins), área que concentra mais de 99% dos casos de malária registrados no Brasil, para aquisição de equipamentos e veículos e distribuição aos municípios prioritários, para iniciar a reestruturação local das ações de prevenção e controle da malária.

Neste ano, foi publicada a Portaria nº 1.958, de 28 de junho, que autoriza o repasse de recursos financeiros do Fundo Nacional de Saúde aos Fundos Estaduais e Municipais de Saúde, totalizando o montante de R$ 10,3 milhões, para custeio da intensificação das ações de controle da doença, aos estados e alguns municípios prioritários do Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia e Roraima.

Além do repasse de recursos extras e exclusivos para o combate à doença, a Pasta investe na ampliação do diagnóstico e garante o abastecimento dos estados em relação aos testes rápidos, e prevê uma ampliação de mais 20% da rede diagnóstica de malária no Brasil para 2019. O Ministério da Saúde garante, ainda, o tratamento completo pelo SUS e envia insumos para as ações de controle vetorial (inseticidas).

CASOS DE MALÁRIA

A região Amazônica concentra mais de 99% dos casos de malária do Brasil, mas os demais estados também possuem áreas com a presença do vetor (áreas receptivas para malária), onde podem ocorrer a reintrodução da malária e surtos a partir de um caso importado.

Na região Amazônica foram registrados 144.146 casos de malária, de janeiro a setembro deste ano. Em todo o Brasil, dados preliminares revelam que, em 2017, foram notificados 194.425 casos de malária. Em 2018, no período de janeiro a setembro, foram registrados 144.710 casos da doença no país.

Depois de 10 anos de redução de casos, em 2017 o país apresentou um acréscimo de mais de 50% dos casos (comparados a 2016). No ano de 2018, este aumento continuou, mas com os investimentos e apoio do Ministério da Saúde, os estados e municípios já vêm demonstrando sinais de redução de casos.
10 mil mosquiteiros impregnados com inseticidas de longa duração 10 mil mosquiteiros impregnados com inseticidas de longa duração Reviewed by Voz de Rondônia on novembro 09, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário

Recent Posts

Recent