Header Ads

Raquel Dodge defende que juízes federais ganhem atribuição eleitoral para julgar crimes, como ‘caixa 2’



A procuradora-geral da República, Raquel Dodge defendeu que juízes federais que atuam em varas especializadas em corrupção, lavagem de dinheiro e crime organizado também possam exercer a função eleitoral.




O pedido será encaminhado por Dodge ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), segundo anuncio da própria PGR, nesta segunda-feira (25), no Rio de Janeiro (RJ), durante o painel de abertura do Seminário Internacional Transparência e Combate à Corrupção, promovido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).




Raquel Dodge tomou as decisões após o Supremo Tribunal Federal (STF) decidir que crimes conexos a caixa 2 devem ser julgados pela Justiça Eleitoral e não mais pela Justiça comum. A decisão da Corte foi alvo de críticas da força-tarefa da Lava-Jato. Os procuradores e investigadores temem pelo possível amolecimento das penas.




Atualmente, somente juízes estaduais compõem o corpo de magistrados que atuam nas zonas eleitorais. Segundo Dodge, a providência é uma alternativa para manter e aprofundar o combate à corrupção após decisão do Plenário do STF.




Dodge também declarou que o Ministério Público Federal (MPF) estuda a implementação de forças-tarefas eleitorais para dar conta do volume de trabalho. Segundo ela, o reforço do Ministério Público Eleitoral é importante para impedir arquivamento de investigações de forma precoce. Ela citou ainda que o trabalho também vai focar na investigação e processamento do caixa 2 eleitoral.




A PGR também informou que tem adotado providências para fortalecer a estrutura e os meios de atuação do Ministério Público Eleitoral.
Raquel Dodge defende que juízes federais ganhem atribuição eleitoral para julgar crimes, como ‘caixa 2’ Raquel Dodge defende que juízes federais ganhem atribuição eleitoral para julgar crimes, como ‘caixa 2’ Reviewed by Voz de Rondônia on março 25, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário

Recent Posts

Recent